Resenha: Battle Royale, de Koushun Takami (@GloboLivros)




Título: Battle Royale
Autor(a): Koushun Takami
Editora: Globo Livros
Páginas: 664
Ano: 2014
Skoob | GoodReads
Mais Informações
Compre: Buscapé | Submarino
Em um país totalitário, o governo cria um programa anual em que uma turma do ensino médio fundamental é escolhida para participar de um jogo. Os estudantes são levados para uma área isolada, onde recebem um kit de sobrevivência com uma arma para se proteger e matar os concorrentes. Uma coleira rastreadora é presa no pescoço de cada um deles.
O jogo só termina quando apenas um estudante restar vivo. Ao final do programa, o vencedor é anunciado nos telejornais para todo o país.
As regras do jogo foram criadas de maneira que não haja uma forma de escapar. E a justificativa da matança é mostrar para a população como o ser humano pode ser cruel e como não podemos confiar em ninguém.
Texto da orelha do livro
favorito

Battle Royale já estava na minha lista de desejados muito antes de ler a trilogia Jogos Vorazes - que acabo de me dar conta que ainda devo resenha sobre. O maior motivo é por sempre ter lido comentários que falavam da brilhante construção dos personagens nessa história e alguns até criticarem a trilogia de Suzanne Collins pelas semelhanças, mas assim que li a trilogia dela, fiquei ainda mais curiosa para embarcar nessa leitura e frustrada por ainda não ter o livro no Brasil, mas esse ano a espera acabou e fiquei extremamente satisfeita com a leitura apesar de terror nunca ter sido o meu gênero favorito.

Resenha: Austenlândia, de Shannon Hale (@editorarecord)

Por Lucas Souza



Título: Austenlândia
Autor(a): Shannon Hale
Editora: Record
Páginas: 240
Ano: 2014
Skoob | GoodReads
Compre: Buscapé
Jane Hayes tem 33 anos e mora na Nova York atual. Bonita, inteligente e com um bom emprego, ela guarda um um segredo constrangedor: é verdadeiramente obcecada pelo Sr. Darcy. Embora sonhe com ele, os homens reais com os quais se depara são muito diferentes dos que habitam sua fantasia. Justamente por isso, ela decide deixar de lado sua vida amorosa e aceitar seu destino: noites solitárias aconchegada no sofá assistindo a Colin Firth em seu DVD. Porém, esses não são os planos que sua rica e velha tia-avó Carolyn, tem para a moça. A única a descobrir o segredo de Jane deixa, em seu testamento, férias pagas para a sobrinha-neta na Austenlândia. A ideia é que Jane tenha uma legítima experiência como uma dama no início do século XX e consiga se livrar de uma vez por todas de sua obsessão. Contudo, para isso, ela terá que abrir mão do celular, da internet e até do uso de sutiãs em troca de tardes de leitura, espartilhos e... a companhia de belos cavalheiros.

Imaginem um lugar para fãs de Jane Austen em que todo o mundo criado por ela é possível. Imaginaram? Jane, de 33 anos, nova-iorquina e solteirona vai para lá. Depois de ganhar uma viagem de sua tia avó, a moça apaixonada por Colin Firth na adaptação de Orgulho e Preconceito e colecionadora dos livros e filmes de Austen, embarca num avião direto para a Europa. Lá ela vai fantasiar durante dezoito dias todo o mundo do Sr. Darcy. Mas essa aventura irá renovar Jane tanto por dentro quanto por fora, e será capaz de fazer com que ela descubra que os homens não podem e nunca serão cópias exatas de personagens criados em livros.

É sério, uma mulher de 30 e poucos anos não deveria sonhar acordada com um personagem fictício de um mundo de 200 anos de idade a ponto de influenciar sua vida e seus relacionamentos reais e muito mais importantes.
Página 16

Resenha: A viagem de Íris, de Gill Lewis (@galerarecord)





Título: A viagem de Íris
Autor(a): Gill Lewis
Editora: Galera Junior
Páginas: 208
Ano: 2014
Skoob
Compre: Buscapé 

Quando Callum conhece Iona, nem imaginam que, aos poucos, se tornariam grandes e leais amigos. Os dois se unem pela promessa de manter em segredo a descoberta fantástica do que habita discretamente na fazenda da família de Callum, na Escócia. Mas conseguirão protegê-la? Para honrar o que prometeram, dão início a uma bela e marcante história de amizade. Digna dos mais puros sentimentos. Capaz de mudar vidas para sempre e tocar o coração de dezenas de pessoas em um alcance inimaginável. Tudo por Íris.
favorito
Bom, quando a Fer me pediu para escolher algo da Galera eu não vi nenhum título que me chamou de cara a atenção, então fui e reli todas as sinopses de todos os títulos e acabei optando por ‘A viagem de Íris’ por não ter encontrado nenhuma resenha publicada e a página dele no Skoob ser pouco movimentada, inicialmente pensei ‘oh pobre livro, por que eis tão ignorado?!’, ao finalizar a leitura pensei ‘oh adorado livro, por que eis tão ignorado?!’. 

Callum é filho do dono de uma grande fazenda na Escócia, durante anos ele e Iona não mantiveram contato, até que em uma tarde ele flagra Iona ‘furtando’ peixes de um rio que fica dentro da fazenda. Em uma tentativa desesperada de ganhar liberdade para pescar Iona promete a Callum que irá lhe contar um grande segredo sobre a fazenda caso ela possa continuar indo lá, ele aceita a proposta e a partir disso uma relação de amor incondicional começa entre ele, Iona e o segredo. Mas o destino é cruel e muitas vezes causa grandes estragos, e a amizade de Iona e Callum se torna uma vítima desse vilão. Entretanto, o segredo continua vivo e precisará da ajuda de Callum para se manter e isso mostrará a todos que amizade é algo que pode nascer até mesmo das relações mais improváveis. 

Resenha: Metamorfose?, de Gail Carriger (@EdValentina)




Título: Metamorfose?
Série: O Protetorado da Sombrinha - Vol. 2
Autor(a): Gail Carriger
Editora: Valentina
Páginas: 320
Ano: 2013
Skoob | GoodReads
Compre: Buscapé | Submarino
Nesta deliciosa e maldita sequência da série iniciada com ALMA?, Alexia Tarabotti se encontra envolvida, só pra variar, em um mistério sobrenatural. Alexia Maccon, a esposa do Conde de Woolsey, é arrancada do sono cedo demais, no meio da tarde, porque o marido, que deveria estar dormindo como qualquer lobisomem normal, está aos berros. Dali a pouco, ele desaparece – deixando a cargo dela um regimento de soldados sobrenaturais acampados no jardim, vários fantasmas exorcizados e uma Rainha Vitória indignada. Mas Lady Maccon conta com sua fiel sombrinha, seus artigos da última moda e seu arsenal de respostas mordazes. Mesmo quando suas investigações a levam à Escócia, o cafundó do Judas onde abundam abomináveis coletes, ela está preparada e acaba provocando uma verdadeira reviravolta na dinâmica da alcateia, como só uma preternatural é capaz de fazer. Talvez até encontre tempo para procurar seu imprevisível marido. Mas apenas se... lhe der vontade. A série de steampunk mais cultuada do mundo!

Atenção essa resenha contém spoilers do primeiro livro da série, Alma?

Alma? que é o livro que inicia a série, foi um dos primeiros steampunks que li e me deixou muito interessada no gênero e cheguei a me comprometer comigo mesma a ler mais livros do gênero, já Metamorfose? foi um dos livros que me fez repensar até onde os livros desse gênero podem me divertir e já penso em tomar mais cuidado nas próximas escolhas, no decorrer dessa resenha vocês entenderão o motivo.

Resenha: O amor é outra coisa, de Edson Aran (@geracaobooks)



Título: O amor é outra coisa
Autor(a): Edson Aran
Editora: Geração Editorial
Páginas: 160
Ano: 2013
Skoob
Compre: Buscapé | Submarino
O amor é outra coisa” se tornou o “meme” mais famoso do Twitter, ganhando milhares de seguidores, apesar do insistente apelo do seu autor, várias vezes tuitado e retuitado: “Não me siga, também estou perdido”. O “meme” (espécie de vírus cultural que se instala na cabeça das pessoas e começa a se reproduzir sozinho) virou febre e todo mundo começou a copiá-lo. Agora, o seu criador, Edson Aran, reúne neste livro toda a série “o amor é outra coisa” e também vários outros pensamentos igualmente inúteis sobre a dor da existência, o sentido da vida, os descaminhos da humanidade e a busca da felicidade, juntando o melhor do seu amor e do seu humor. Divirta-se com as tiradas nada sutis deste livro, que não ensina coisa alguma, mas nos faz rir de tudo. O humor, afinal, é algo que, uma vez dentro de você, faz o seu coração bater melhor. Ou melhor, não é não. O nome disso é marca-passo. O humor é outra coisa.



O que mais me fez querer ler esse livro foi ter visto várias frases sobre O amor é outra coisa nesses anos de internet e achei que seria bacana ter alguns deles na minha estante, além de algumas outras frases bem humoradas para ler de vez em quando por distração. E posso dizer que esse desejo o livro satisfaz, mas só.


Resenha: O Mundo de Marguerite Sülever, de Mylena Araújo (@EditoraSeloJove)




Título: O Mundo de Marguerite Sülever
Autor(a): Mylena Araújo
Editora: Selo Jovem
Páginas: 170
Ano: 2013
Skoob
Compre
1814 França, Lyon, lar do senhor Sülever um homem ganancioso e cruel. Marguerite sua única filha ganha o desprezo do pai ao nascer e seu berçário torna-se o leito de morte de sua mãe, com ódio e tristeza em seu coração, Senhor Sülever evita tudo e a todos, trancando-se em sua grande biblioteca. Com o passar dos anos a pequena miss Marguerite, como é chamada por sua governanta Suellen, tem o pai como um completo estranho, mas nem tudo está perdido, a pequenina tem a companhia de seus fiéis primos Freana e William. Ao completar seus 14 anos de idade, a jovem Marguerite finalmente tem um final feliz e misterioso.


Com apenas 13 anos, a pequena Marguerite tem tudo o que muitos podem querer é filha de um homem muito rico, tratada por sua governanta Suellen como uma princesa, tem dois primos maravilhosos como companhia - Freana e William - só que mesmo assim é muito infeliz devido a rejeição que sofre por parte de seu pai que não aceita que sua mãe , nada menos que seu grande amor, faleceu para que ela pudesse nascer. E por isso ela cresce com a ausência do pai, consequente uma ausência de amor.

Especial: Meus filmes mais esperados de 2014


O ano de 2013 foi incrível para os cinéfilos de plantão, com excelentes produções de tirar o fôlego e que nos prenderam em frente a telinha (ou telona) durante horas. Mas, 2014 está apenas começando e já temos grandes promessas para o cinema, entre elas, estão as franquias mais populares do mundo, as adaptações do livros mais lidos, os heróis mais amados, e muito, muito mais. A seguir, alguns do filmes, pelos quais estou mais ansiosa para o lançamento.



Transformers: A era da Extinção
Lançamento: 17 de julho de 2014
Dirigido por: Michael Bay
Gênero: Ação/Ficção Científica
Nacionalidade: EUA
Mais Informações
Anos após o grande confronto entre Autobots e Decepticons em Chicago, os gigantescos robôs alienígenas desapareceram. Mas, quando Cade (Mark Wahlberg) encontra um caminhão abandonado, jamais poderia imaginar que o veículo, na verdade, é Optimus Prime, o líder dos Autobots. Ao trazê-lo de volta à vida, ele e sua filha Tessa (Nicola Peltz) acabam entrando na mira das autoridades americanas.

Resenha: A Prisão Mal-Assombrada, de Joseph Delaney (@BertrandBrasil)



Título: A Prisão Mal-Assombrada
Autor(a): Joseph Delaney
Ilustrações: Scott M. Fischer
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 112
Ano: 2014
Skoob | GoodReads
Compre
A história começa com a primeira noite do órfão Billy, de quinze anos, como guarda de uma sinistra prisão. Mas essa não é uma cadeia qualquer com prisioneiros comuns. Nela há celas mal-assombradas que não podem ser usadas, sussurros e gritos durante a noite. E o temido Poço da Bruxa. Billy é alertado a manter distância do prisioneiro que fica lá no fundo do poço. Mas quem poderia ser? O que poderia ser tão assustador?
O cenário deste livro é inspirado no Castelo Lancaster, onde, em 1612, as bruxas de Pendle ficavam trancadas antes de serem julgadas e enforcadas. Elas eram mantidas em uma cela conhecida como Poço da Bruxa. Quando Joseph Delaney visitou o castelo, ficou imaginando o que teria restado lá embaixo depois que as bruxas se foram.
Uma história de terror digna dos mestres do gênero.

Desde que a editora anunciou o lançamento desse livro, fiquei muito curiosa para conferir, por já ter uma vontade imensa de ler Aventuras do Caça-Feitiço por ser tão elogiada que é do mesmo autor. Como já dito na sinopse, o cenário desse livro é inspirado no Castelo Lancaster, conhecido por em 1612 ser o local onde as bruxas de Pendle ficavam trancas até serem julgadas e enforcadas.

Ninguém se aproximava do castelo sem ser percebido. Sempe havia olhos observando, sempre havia pessoas vigiando alguma aproximação.
Página 20

Série: House of Cards (@NetflixBrasil)




Gênero: Drama/Política
Duração: Aproximadamente 50 minutos
Adaptada por: Beau Willimon
País de Origem: Estados Unidos
Estréia: Mundial no Netflix, em 01/02/2013
Temporada: 1ª e 2ª Temporadas
Classificação: maiores de 18 anos
Assista
O fim justifica os meios
Astuto e inescrupuloso, o congressista Francis Underwood (Kevin Spacey) e sua esposa Claire (Robin Wright) são implacáveis na busca pelo poder. Esta instigante série política entra no mundo de ganância, corrupção e sexo de Washington. Kate Mara e Corey Stoll também atuam na primeira série original de David Fincher, de (“A rede social”) e Beau Willimon.


Quem acompanha o blog, principalmente nas redes sociais, sabe que eu não sou fascinada por séries. Isso começou a mudar um pouco quando assinei o Netflix no ano passado após estudar a possibilidade de voltar a ter TV paga em casa e optei por ele que por não ter comerciais durante os programas infantis, me deixaria mais tranquila e a possibilidade de assistir um filme com o maridão no fim de semana sem precisar alugar (sim, eu ainda alugava, rs) ou comprar DVD's. E foi assim que cheguei a House of Cards, por uma sugestão do próprio Netflix por e-mail quando estava próximo da estréia da segunda temporada.

House of Cards foi adaptada por Beau Willimon a partir dos livros que formam a trilogia escrita por Michael Dobbs chamada Francis Urguhart que já havia sido adaptada para a TV pela BBC em 1990. A trama gira em torno de Frank Underwood brilhantemente interpretado por Kevin Spacey, que após ser traído pelo presidente que ajudou a eleger traça um plano para derrubá-lo e conta com a ajuda de sua esposa Claire (Robin Wright). Uma personagem que se destaca logo no início da primeira temporada é a jornalista Zoe Barnes (Kate Mara) que se torna aliada de Frank para obter notícias exclusivas sobre a Casa Branca para alavancar sua carreira.

Resenha: O Espadachim de Carvão, de Affonso Solano (@fantasycdp)



Título: O Espadachim de Carvão
Autor(a): Affonso Solano
Editora: Fantasy - Casa da Palavra
Páginas: 256
Ano: 2013
SkoobGoodReads
Compre: Buscapé | Submarino
Kurgala é um mundo abandonado por Quatro Deuses. Adapak é filho de um deles.
E agora está sendo caçado.
Perseguido por um misterioso grupo de assassinos, o jovem de pele cor de carvão se vê obrigado a deixar a ilha sagrada onde cresceu e a desbravar um mundo hostil e repleto de criaturas exóticas. Munido de uma sabedoria ímpar, mas dotado de uma inocência rara, ele agora precisará colocar em prática todo o conhecimentos que adquiriu em seu isolamento para descobrir quem são seus inimigos. Mesmo que isso possa comprometer alguns dos segredos mais antigos de Kurgala.

Admito que tive um certo receio em resenhar esse livro. A razão é que, de certa forma, conheço o autor já há anos, através de um podcast que ele mantém com seus amigos, o MRG. Por já simpatizar com o Affonso tive medo de que isso pudesse influenciar minha opinião sobre o livro, mas meu medo foi infundado. Após ler O Espadachim de Carvão em apenas quatro dias posso dizer, sem nenhum remorso, que foi uma ótima leitura.

– Bom, as Tábuas Dingirï contam que no começo de tudo, Kurgala era um enorme mar sem fim. E os espíritos de Abzuku e Tiamatu eram seus senhores, e nada mais além deles existia.
Página 67